categoria : Ecologia
Comente (0)Caronas EnviariCalCompartilhar

segunda-feira, 28 de novembro de 2022 - 9h

Descrição

No Brasil, grande parte dos resíduos sólidos é descartada de maneira inadequada, a céu aberto, podendo ser queimados como também lançados na rede pública de esgotos. Entre estes resíduos estão aqueles provenientes de residências urbanas, os Resíduos Sólidos Urbanos (RSU), cuja produção diária por cada brasileiro, era de 1 kg, em média. Esta destinação inadequada tem impacto negativo no Meio Ambiente, pela contaminação de solos, lençol freático, lençóis de água: na área da saúde, por se tornar um foco de contaminação de doenças, como leptospirose, dengue, entre outras.

Durante a pandemia, devido ao COVID-19, muitos hábitos mudaram e as atividades profissionais passaram, na sua maioria, a ser desenvolvidas nas residências. Uma destas mudanças foi em relação às compras por delivery, o que implicou em mais embalagens e impactou em um aumento da produção média diária de resíduos por cada brasileiro passou a ser 1,07 kg. De março a dezembro de 2020 os resíduos provenientes de coleta seletiva aumentaram 20% em relação ao mesmo período de 2019. Apesar de a maioria das pessoas considerar a coleta seletiva importante, muitos ainda não têm esta prática.

No Brasil, o governo federal promulgou em 2010 a lei 12.305, que estabeleceu a Política Nacional de Resíduos Sólidos, marco regulatório que prevê a gestão integrada e o gerenciamento de resíduos sólidos. Um dos objetivos do Art. 7º deste documento é "a não geração, redução, reutilização, reciclagem e tratamento dos resíduos sólidos, bem como disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos". Este objetivo é a diretriz do Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos do Município de São Paulo, de 2014.

Conforme os dados apresentados, um dos grandes problemas ambientais mundiais consiste na grande produção de resíduos sólidos e sua deposição inadequada. Estes fatores produzem grandes impactos ambientais como entupimento de bueiros, que colaboram para o surgimento de enchentes e, não menos importante, a extração desnecessária de recursos naturais, para a produção, cada vez maior, de bens de consumo.

Tendo em vista o exposto, surge a necessidade de que a Secretaria do Verde e do Meio Ambiente, por meio da UMAPAZ, promova, assegure e fomente a Educação Ambiental na cidade de São Paulo relacionada a esta temática, o que possibilitará a sensibilização dos munícipes quanto à importância da coleta seletiva e da adesão a esta prática, no cotidiano.

Conteúdo Programático

- A história do lixo
- Lixo e resíduos sólidos
- Lixo o mundo e no Brasil
- Tipos de resíduos
- O caminho dos resíduos comuns e dos recicláveis
- Lixões e aterros
- Legislação
- Consequências da destinação incorreta dos resíduos sólidos

Facilitação e Coordenação

Ruth Weg
Bacharelado e Licenciatura em Ciências Biológicas. Mestrado em Biofísica. Doutorado em Patologia. Especialização em Educação Ambiental e Desenvolvimento Sustentável. Foi docente, durante 17 anos, em cursos para formação de professores, na iniciativa privada. Desde 20210 trabalha com Educação Ambiental, na Secretaria do Verde e do Meio Ambiente, como coordenadora/facilitadora em cursos/aulas sobre Educação Ambiental e Sustentabilidade.

Sobre

Público: Interessados.

Dias: 7, 21 e 28/11 e 5/12/2022, segundas-feiras.

Horário: 9h às 12h.

Vagas: 45.

Local: Sede da UMAPAZ.

Endereço: Av. Quarto Centenário, 1268, Portão 7A, Parque Ibirapuera (somente pedestres).

Certificado para que comparecer em, no mínimo, 75% das aulas (3 aulas)

SITE PARA SE INSCREVER