categoria : Feminismo
Comente (0)Caronas EnviariCalCompartilhar

terça-feira, 20 de agosto de 2019 - 18h30

Minicurso: Introdução à Economia Feminista

Minicurso: Introdução à Economia Feminista. Por um outro paradigma de sustentabilidade da vida.

Um encontro: 20 de Agosto
Terça-feira, das 18:30h às 22h
Carga horária: 3:30 horas
Investimento: 30 reais
Na Taperona (Av. São Luís, 187, 2º andar, loja 30)
Com: Maria Lucia Silveira, Marilane Teixeira, Miriam Nobre e Renata Moreno

Mais informações: cursosex@taperataperexa.com.br

Inscrições: https://bit.ly/2YbxXQ8

RESUMO
"O curso pretende introduzir a Economia Feminista, cujas formulações têm sido abordadas no país, sobretudo a partir dos anos 2000, no âmbito dos debates feministas e das reflexões dos movimentos feministas anti-sistêmicos. Só agora começa a ter seu debate introduzido na academia em grupos de estudos, seminários e publicações. A economia feminista faz a crítica ao paradigma econômico predominante, discute a construção de um novo marco conceitual para a disciplina da economia tendo como referência a insatisfação crescente das economistas, pesquisadoras e feministas com a abordagem da economia dominante. Serão abordadas as várias vertentes com foco na sustentabilidade da vida humana, por se constituir em um instrumento valioso de análise que permite uma crítica global ao sistema capitalista e à economia de mercado e, por isso, foi mais rapidamente incorporada pelos movimentos feministas que questionam o liberalismo econômico e a globalização. O curso pretende introduzir os elementos centrais da teoria econômica Feminista em contraposição à Teoria Econômica Neoclássica centrada no "homo economicus" e seu viés androcêntrico."

JUSTIFICATIVA
"A Economia Feminista tem um traço fundamental que é reivindicar um corpo de conhecimento que responda à diversidade das pessoas e à sustentabilidade da vida humana, ou seja, sua prioridade é prover as necessidades humanas, mais do que pensar na maximização do rendimento produtivo e resultados dos lucros. A vida da reprodução social na economia neoclássica é tratada como externalidade. Por isso, a economia feminista propõe incorporar todo trabalho de reprodução social na análise econômica já que o objetivo maior é a produção do viver. Assim, conhecer as diferenças centrais dos paradigmas expande as fronteiras metodológicas da análise econômica por si só vitais para a produção e reprodução da vida humana."

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
Teixeira, Marilane. A Economia Feminista e a Crítica ao paradigma econômico dominante. IN: Dossiê Economia Feminista, Temáticas, n.52, ano 26, IFCHS, UNICAMP, 2018.

Moreno, Renata. Economia Feminista em movimento: Experiências e desafios teórico-políticos a partir da luta das mulheres. IN: Dossiê Economia Feminista, Temáticas, n.52, ano 26, IFCHS,
UNICAMP, 2018.

Nobre, Miriam e Hillenkamp, Isabelle. Agroecologia e Feminismo no Vale do Ribeira: contribuição para o debate da reprodução social. IN: Dossiê Economia Feminista, Temáticas, n.52, ano 26, IFCHS, UNICAMP, 2018.

SOBRE:
Maria Lucia da Silveira (org.) é doutora em sociologia pela PUCSP, participante do NAPPS Mulheres- Núcleo de Acompanhamento de Políticas Públicas e Sociais para Mulheres, publicou recentemente Direito ao aborto, autonomia e igualdade, com Renta Moreno e outras, pela SOF, 2018.

Marilane Teixeira é economista, doutora em economia do Trabalho pela UNICAMP e pesquisadora do CESIT/ Unicamp e assessora sindical. Organizadora Dossiê Economia Feminista, revista de Pós Graduação em Economia da UNICAMP, Temáticas,n.52, 2018. Publicou recentemente vários artigos na imprensa alternativa sobre a Reforma da Previdência e o impacto sobre as mulheres e o mercado de trabalho, dentre eles, no Le Monde Diplomatique Brasil, de abril de 2019.

Miriam Nobre é engenheira agrônoma, mestre pelo PROLAM- USP, membro da coordenação da SOF - SempreViva Organização Feminista, onde tem se dedicado à assessoria de grupos de mulheres na agricultura familiar e agroecologia. Organizou as primeiras publicações sobre Economia Feminista junto com Nalu Faria, tais como os Cadernos Sempre Viva, Economia Feminista, de 2003; A Produção do Viver, Ensaios de Economia Feminista, 2015, dentre outros. Além disso, organizou seminários e cursos nessa temática e da agroecologia, junto à ANA- Articulação Nacional de Agroecologia.

Renata Moreno é socióloga, da equipe técnica da SOF, aguardando a defesa de sua tese de doutorado no Programa de Pós Graduação em Sociologia da USP, sob orientação de Helena Hirata e ativista da Marcha Mundial de Mulheres. Organizou e escreveu para várias publicações sobre o Feminismo, como a Revista Estudos Feministas e publicações de ONGs e da SOF, as mais recentes são: Reflexões e práticas de transformação feminista, Cadernos Sempre Viva, SOF, 2015.

OBSERVAÇÕES:
1. Vagas confirmadas apenas com pagamento.
2. Política de devolução:
Se houver cancelamento até 7 dias úteis, será cobrada multa de 10% do valor do curso. Em caso de desistência até 48h antes do curso a multa será de 40% do valor do curso. Desistências após iniciar (até 50% das aulas) serão reembolsadas em 50%. Os valores serão devolvidos via depósito bancário a ser feito em conta de titularidade do participante inscrito. Após encerramento do curso não serão mais efetuadas devoluções.
3. Certificado de conclusão:
Os alunos devem participar no mínimo de 75% do curso para pedir o certificado de conclusão do curso, que será emitido em até 5 dias úteis após o término do mesmo.

_fonte_ : https://www.facebook.com/events/6643166140408

Your Comments

Para mais informações sobre o evento, por favor entre em contato com o/as organizadora/es. Informações e comentários adicionados:

Your Comments

Seja o primeiro a comentar